Quem nunca comeu um delicioso bolo com calda de chocolate e, para acompanhar, um bom café, não é mesmo? Pois é, essa experiência, pra lá de tradicional nas casas e fazendas deste país, pode ser ainda mais bem explorada.

Harmonização de alimentos é a arte de combinar sabores, seja pela semelhança ou pela diferença. Isso mesmo, harmonizar sabores opostos pode ser, muitas vezes, a melhor forma.

Por exemplo, o café super combina com o salgado de um bom queijo curado e, muitas vezes, a acidez desses lácteos também ajuda a destacar os cafés mais encorpados.

Basta lembrar de um super clássico das sobremesas brasileiras, o ”Romeu e Julieta”, ou queijo com goiabada. Faça um teste, procure comer a goiabada sozinha e, depois, prove os dois juntos na mesma bocada. Veja que parte da doçura mais acentuada desaparece, mas por outro lado, ganha-se uma sensação de textura, como se tivesse veludo na boca. Essas mágicas da alimentação são cada vez mais exploradas na gastronomia.

Mas sem querer tornar esse nosso hábito de tomar um bom café muito complicado, e sim aproveitá-lo da melhor forma, vamos a algumas dicas abaixo, lembrando que o equilíbrio sempre ajuda muito.

Os cafés especiais têm um leque enorme de sensações, do amargo à sensação de acidez supercomplexa, passando também por notas de frutas. E com os chocolates não é diferente. O paladar do consumidor mundo afora vem dando cada vez mais chance para que os produtores de alimentos explorem o que cada produto tem em sua essência, e isso, tem valorizado ainda mais a história, as origens, as plantas e o modo de produção.

Com os chocolates mais amargos com alta concentração de cacau, deve-se evitar o consumo de cafés também amargos, como aqueles preparados a partir de grãos mais torrados. Neste caso, encontrar cafés com notas de acidez ou mais frutados pode ajudar a tornar esse combinação mais equilibrada. Afinal, dose dupla de amargor ninguém precisa, não é?

Já os chocolates mais doces, como são chamados os tipos “ao leite” e os “brancos”, são mais suaves no sabor e, por outro lado, mais gordurosos, combinando muito bem com cafés mais intensos, onde a torra mais escura destaca as notas de açúcares queimados e a sensação de amargor (na medida certa) dos cafés especiais. A mistura de ambos na boca deixa uma sensação agradável. A intensidade do café mais torrado é suavizada pela doçura do chocolate, e a sensação do café não desaparece, ao contrário, finaliza de forma super agradável na boca. Mas é preciso ressaltar, estamos sempre falando de cafés de qualidade! Um café de baixa qualidade, super torrado, ninguém merece. Haja açúcar para tentar esconder, mas aí estamos falando de defeitos, não de harmonização.

Agora, se você não abre mão de colocar um pouco de leite no seu café, talvez combiná-lo com os chocolates intermediários, aqueles meio amargos, será a melhor escolha. Assim, tanto a nota do café quanto a maciez do leite quente, vão ficar super presentes e combinarão bem com um chocolate de intensidade média.

Mais histórias do café e do chocolate

As características e a similaridade entre o café e o chocolate não se resumem somente à mesa. Lá na origem, e mesmo na história do Brasil, há muita coisa em comum e que merece uma conversa só sobre este assunto. Mas dando uma palhinha aqui... Ambos são frutos, mas o que aproveitamos de cada um deles como produto final não é a polpa, mas sim, as sementes do cafeeiro e do cacaueiro. Os dois são produzidos, em geral, nas mesmas regiões tropicais do planeta, e tanto o café como o chocolate sofrem influências do meio em que estão inseridos, característica chamada de terroir (quer saber mais disso, busque nossa matéria sobre os cafés especiais no Blog do Urbe). Além disso, após colhidos, lavados e separados, os grãos são secos ao sol em terreiros e, por fim, torrados, processo que permite explorar seus açúcares, óleos e sabores.

Então, vamos harmonizar? Escolha seu café aqui e a receita, abaixo!

Doce / Panna Cotta de Café
Por Mateus Felipe Ramos dos Santos

Ingredientes

  • Leite integral
  • Café Espresso URBE 02
  • Açúcar
  • Gelatina sem sabor
  • Doce de leite
Panna Cotta Urbe

Receita do Café

Um espresso duplo de Urbe 02. Você pode substituir por extração da Prensa Francesa, ou, vá de coado.

Modo de Preparo

  • Em uma panela acrescente o leite, o café e o açúcar.
  • Quando aquecer por aproximadamente 15 minutos, acrescente a gelatina.
  • Espere ficar morno e coloque em um recipiente.
  • Quando firmar, coloque o doce de leite por cima.

Salgado / Coffee Demi Glace Vegan
Por Victor k Furukawa

ingredientes

  • 1 alho poró (picado fino em rodelas)
  • 1 cebola branca (picada fina em tiras)
  • 1 cebola roxa (picada fina em tiras)
  • 1 cabeça de alho (cortada ao meio na horizontal)
  • 1 cenoura (cortada fina em rodelas)
  • 1 berinjela (cortada ao meio e depois fina)
  • 1l de café especial base
  • 75g de manteiga sem sal

Receita café coado:

  • 1100ml de água fervida
  • 120g de café URBE 01 moído para coado

Modo de preparo:

  • escalde o filtro
  • jogue um pouco de água e espere alguns segundos
  • vá jogando toda a água até acabar de filtrar

Preparo demi glace:

  • Pré-aqueça o forno a 210ºC por 30 min.
  • Coloque todos os legumes e vegetais em uma assadeira funda. Espalhe bem todos eles pela assadeira e jogue a manteiga derretida sobre eles.
  • Coloque no forno e espere até começarem a dourar, com cuidado para não queimar.
  • Após dourar, jogue o café e misture bem.
  • Deixe no forno por cerca de 1h30min.
  • Coe o caldo e coloque em uma panela grande no fogo médio e espere ferver. Quando ferver, adicione um pouco de goma xantana até atingir o ponto de colher (em que você passa a colher e uma camada permanece grudada nela). Atenção, não adicionar muita goma xantana, às vezes demora para fazer efeito.
  • Guarde em um pote e use em até 10 dias.
EXPERIMENTE NOSSOS CAFÉS ESPECIAIS
O Café Especial URBE 01 é um café de 84,5 pontos. Sua fragrância é frutada, corpo vinhoso, doçura de mel, acidez cítrica brilhante, finalização limpa e doce. Características do Café: Produtor: Arnaldo Pinto Origem: Fazenda Morada da Prata, Batatais – SP Região: Alta Mogiana (SP) Altitude: 850 m Variedade: Arara Processamento: Natural...
O Café Especial URBE 02 é reconfortante. Bem denso, encorpado, com doçura intensa e notas de caramelo. É produção nossa (Urbe) e provém da região de Alta Mogiana (SP) / Altitude: 900m. Características do Café: Produtor: Produção Própria Origem: Fazenda Alto da Colina, Cajuru – SP Região: Alta Mogiana (SP)...
Café Especial URBE 03 é composto por Microlotes surpreendentes garimpados nas lavouras de pequenos produtores parceiros. Tem origens variadas e notas sensoriais mais complexas. Os grãos são torrados semanalmente em pequenas quantidades, com perfis ajustados individualmente, mantendo assim o frescor e a qualidade do café. Um café especial vai muito...
O Café Especial URBE 04 é composto por Microlotes ou nanolotes com pontuação acima de 88 pontos. Boa pedida para os apreciadores de cafés especiais, abertos a novas experiências. Com aromas e sabores complexos, raros e intrigantes. Vamos garimpar nas lavouras os melhores lotes de pequenos produtores parceiros. E para...
GUIA DE MÉTODOS E MOAGEM DE CAFÉS
Renato Pereira, Jan 28, 2021
0 comentários
Renato Pereira, Jan 28, 2021
0 comentários
Saiba mais
INFORMATIVO URBE
Renato Pereira, Jun 09, 2021
0 comentários
Fabio Pereira, Apr 03, 2021
0 comentários
Saiba mais